quarta-feira, 14 de maio de 2008

O povo e a leitura

Por: Winter Bastos

O Brasil inteiro tem cerca de mil e duzentas livrarias, menos que Buenos Aires sozinha, quando o índice da UNESCO para países com a nossa população recomenda pelo menos 17 mil. Os livros são caros e o governo finge incentivar a leitura apoiando eventos elitistas como a Bienal do Livro do Rio de Janeiro (da última vez só a entrada custou R$10 e o acesso de ônibus foi dificílimo para quem não mora na Barra da Tijuca). As bibliotecas públicas são apenas duas mil e oitocentas no país todo. Conseqüentemente o índice de leitura no Brasil não excede o percentual de 0,9 livro/ano por pessoa; o patrimônio vocabular médio do jovem mal chega a trezentas palavras; somente 24% dos brasileiros alfabetizados são capazes de ler e entender um livro na sua totalidade.

Por essas e outras, se torna essencial a criação de centros de cultura comunitários. Se todas as comunidades e bairros populares tivessem uma biblioteca – por menor que fosse – o hábito de leitura iria se proliferar e as pessoas desenvolveriam suas potencialidades intelectuais e artísticas.

Reflexão e pensamento crítico sempre são estimulados por bons livros. Como ter acesso a estes, hoje, sem despender muito dinheiro? Uma forma seria através das já citadas bibliotecas; outra seria recorrer a sebos.

Sebos são lojas de livros usados. Em tais estabelecimentos podem-se encontrar títulos esgotados com preços acessíveis e até livros de apenas R$1. Mas muitos trabalhadores e estudantes deixam de aproveitar tais vantagens por simplesmente desconhecê-las.

Em Niterói (RJ) existem mais de 10 sebos, dentre os quais é destaque a Livraria Ideal (2620-7361) – que em março de 2008 completou impressionantes 73 anos de presença no mercado de livros. Há também: Livraria Caminho (2721-0402), Toda prosa (9673-5378), Universo do Livro (2721-0112), Só Letrando (2613-0720), etc.

BATIZADO DA ESCOLA DE SAMBA DA GROTA "O BEM AMADO" - AGUARDEM O FILME - POR FABIO DA SILVA BARBOSA & LUIZ HENRIQUE PEIXOTO CALDAS


video

POR: FABIO DA SILVA BARBOSA & LUIZ HENRIQUE PEIXOTO CALDAS